Hirsutismo: Saiba tudo sobre esse distúrbio que atinge diversas mulheres!

Hirsutismo: Saiba tudo sobre esse distúrbio que atinge diversas mulheres!

Pelos fazem parte da nossa proteção corporal. Mesmo que muitos deles a gente não goste e acabe tirando. Mas o fato é: eles costumam ser comuns em certas quantidades e em determinados lugares para mulheres e homens de formas distintas. Se isso está desregulado de alguma forma, algo pode estar acontecendo no seu organismo.

Você já ouviu falar do hirsutismo? Uma disfunção que afeta muitas mulheres que se deparam com o surgimento de pelos considerados característicos do sexo masculino.

O que é o hirsutismo?

Também chamado de frazonismo, o hirsutismo é quando há a presença de pelos terminais na mulher. Esses tipos de pelos, tradicionalmente, surgem nos homens. Que são em determinadas regiões, com fios mais grossos e em maior quantidade.

As áreas em que podem surgir são: no rosto (região da barba), no peito (ao redor dos mamilos e na região do tórax), nas costas, nas nádegas e na parte interna das coxas. Apesar de poder afetar qualquer faixa etária, costuma acontecer com mais frequência na idade fértil ou após a menopausa.

É importante saber que o hirsutismo em si, não é um problema grave de saúde. Se o surgimento dos pelos for um caso isolado sem relação com alguma doença, a pessoa pode levar sua vida normal. Mas o que acontece é que essa disfunção pode afetar a saúde psicológica. Isso pode acarretar transtornos emocionais e distorção de autoimagem por afetar a aparência da mulher.

hirsutismo barba

Quais são as causas?

Como dito, pode ser que o hirsutismo não tenha relação com nenhum problema de saúde. Nesses casos a mulher não produz hormônios sexuais masculinos em excesso, não afetam o ciclo menstrual ou a fertilidade. É um pouco difícil dizer a origem quando isso ocorre, mas acredita-se que tenha fatores genéticos e hereditários.

Mas também pode ser que seja um sintoma de uma outra doença que precisa de um tratamento para não afetar a saúde. Dentre as possíveis causa, podem ser considerados:

  • Síndrome do ovário policístico (SOP);
  • Síndrome de Cushing;
  • Hiperplasia adrenal congênita;
  • Tumores produtores de hormônios androgênicos nos ovários e nas glândulas suprarrenais;
  • Uso de medicamentos para tratar a endometriose, doenças da tireoide, depressão, calvície, artrite reumatoide e uso de esteroides anabolizantes;
  • Obesidade e sobrepeso.

Quais são os sintomas do hirsutismo?

O sintoma mais comum é realmente o surgimento de pelos mais grossos e escuros em regiões do corpo que costumam só aparecer em homens. Eles podem aparecer no rosto (queixo, acima do lábio, face), peito, abdômen, costas, nádegas e coxas.

Caso o hirsutismo esteja relacionado à algum problema de saúde, como hiperandrogenismo (níveis elevados de hormônios masculinos), outros sintomas podem acompanhar. Dentre eles o aumento da massa muscular, perda de cabelo no topo da cabeça, acne, voz mais grossa, infertilidade, aumento do clitóris, menstruação desregulada e redução do tamanho dos seios.

hirsutismo gilete

Como tratar?

O tratamento pode variar muito conforme a causa que levou o aparecimento dos pelos. Se o problema for o aumento de hormônios, o tratamento será para combater esse excesso de hormônios. Caso haja sobrepeso, o peso deve ser controlado para ajudar também.

Mas se o hirsutismo for um caso isolado, geralmente o indicado é realizar procedimentos estéticos para remover os pelos. Caso isso seja um problema muito grande para a pessoa, pode-se recorrer ao tratamento farmacológico com recomendação médica.

É possível tratar o hirsutismo com anticoncepcional?

O anticoncepcional pode ajudar a controlar o crescimento desses pelos? A resposta é sim! Os contraceptivos orais que possuem estrogênio e progestina costumam ser bem indicados para o tratamento. Eles pode ajudar a reduzir os sinais de hiperandrogenismo.

Mas apesar de ajudarem a ter resultados satisfatórios no tratamento, dependendo do caso, pode ser indicado outros métodos junto com o anticoncepcional. Alguns médicos recorrem também aos  antiandrógenos (sendo a espironolactona o mais comum) para que a captação dos hormônios androgênicos seja inibida. O uso dos dois medicamentos pode ajudar a reduzir os pelos no corpo.

É importante destacar que esses tratamentos costumam mostrar resultados a longo prazo. Os efeitos são demorados porque respeita o ciclo de vida de cada folículo piloso. Esse ciclo tende a durar em torno de 6 meses. Durante esse tempo os procedimentos estéticos, como depilação, podem ajudar.

Você já conhecia o hirsutismo? O que achou do nosso artigo? Não deixe de escrever seu comentário pra gente!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Add Comment