Febre amarela: Saiba tudo sobre a doença que tem chamado atenção ultimamente!

Febre amarela: Saiba tudo sobre a doença que tem chamado atenção ultimamente!

A Febre Amarela é uma doença que já é considerada uma velha conhecida no Brasil. Porém, vem chamando bastante atenção nas últimas semanas, pois tem aparecido um número alarmante de novos casos, tanto em humanos quanto em macacos. Isso tem deixado um grande número de pessoas preocupadas, o que resulta em postos de saúde lotados de gente querendo se vacinar. Fizemos este artigo para responder algumas dúvidas muito comuns a respeito desta doença.

O que é a Febre Amarela?

A Febre Amarela é uma doença infecciosa que é transmitida por um vírus. É uma doença considerada aguda, ou seja, tem início súbito, desenvolvimento rápido e duração curta e também hemorrágica. A doença recebe este nome por dar uma cor amarelada a pele, o que é conhecido como icterícia, e causar hemorragia em vários graus.

Este é um vírus de clima tropical, sendo mais comumente encontrado na América do Sul e na África.

Quais os tipos de Febre Amarela?

A Febre Amarela pode ser dividida em dois tipos, sendo eles:

  • Febre Amarela Urbana: Ocorre quando um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham.
  • Febre Amarela Silvestre: Mosquitos da espécie Haemagogus destas regiões se infectam picando primatas com a doença e podem transmitir a um humano que visite estes locais.

Quais os sintomas da Febre Amarela?

Grande parte das pessoas infectadas pelo vírus não apresentam sintomas e a doença se cura sozinha. Porém, algumas pessoas ainda apresentam e os sintomas na fase aguda costumam durar de três a quatro dia. São eles:

  • Febre
  • Dores musculares, em especial nas costas
  • Dor de cabeça
  • Perda de apetite
  • Náuseas
  • Vômito
  • Olhos, rosto ou língua avermelhada
  • Fotofobia
  • Fadiga e fraqueza

É válido lembrar que uma pequena porcentagem das pessoas pode apresentar sintomas mais graves cerca de 24 horas após o fim dos sintomas mais simples. Nesta fase o vírus pode atingir diversos órgãos e sistemas, mas principalmente o fígado e rins. Esta fase é chamada de fase tóxica. Os novos sintomas são:

  • Retorno da febre alta
  • Icterícia, devido ao dano que o vírus causa no fígado
  • Urina escura
  • Dores abdominais
  • Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago

Em casos mais graves o paciente pode apresentar delírios, convulsões e até entrar em coma.

Tratamento para Febre Amarela

Não existe nenhum tratamento específico para a Febre Amarela. O que existem é o tratamento sintomático da doença. O tratamento requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva. Normalmente o tratamento visa a melhora dos sintomas e em casos mais graves é realizado o atendimento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para reposição do sangue perdido nas hemorragias, diálise para os rins afetados e controle geral das complicações.

Lembre-se que esta doença tem uma grande chance de evoluir para um quadro hemorrágico, portanto, evite a aspirina.

Vacina para a Febre Amarela

Existem duas formas bastante simples de se prevenir contra a Febre Amarela. A primeira é ir a qualquer posto de saúde próximo a você e solicitar a vacina contra a Febre Amarela. Cada dose da vacina tem uma eficácia de 95% e dura até 10 anos. O Ministério da saúde recomenda revacinação a cada dez anos.

A outra forma é a mesma que você já faz todos os dias no combate a dengue, ou seja:

  1. Manter as garrafas vazias ou baldes viradas para baixo;
  2. Não deixar entulho no quintal ou nas ruas e varrer diariamente a água parada;
  3. Cobrir as caixas d’água, poços ou piscinas e manter as calhas de água limpas;
  4. Colocar terra ou areia nos pratos dos vasos das planta;
  5. Manter a lata de lixo devidamente tampada e jogar no lixo cascas de coco, latas de refrigerantes, copo plástico, garrafas, embalagens, etc;
  6. Guardar pneus em locais cobertos, longe da chuva. Faça furos na parte de baixo ou entregue no serviço de limpeza;
  7. Tampar os ralos pouco usados com um plástico, jogando água sanitária no cano 2 vezes por semana;
  8. Ficar sempre atento aos bebedouros de cães, gatos e passarinhos.

Para mais informações assista a este vídeo:

Este artigo foi útil para você? Conta pra gente aqui nos comentários!

 

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Add Comment