Chás que as grávidas não devem tomar: Saiba quais são eles!

Chás que as grávidas não devem tomar: Saiba quais são eles!

Existem muitas plantas que são usadas para substituir medicações, porque têm um efeito comprovado na cura ou na prevenção de alguns problemas e doenças, e por isso são consideradas plantas medicinais.

A forma mais comum de usar essas plantas medicinais é através dos chás, mas apesar de serem naturais e não fazerem tão mal quanto os medicamentos produzidos pelos laboratórios farmacêuticos, algumas plantas podem causar efeitos colaterais ou reações adversas, e muitas são contra-indicadas para as grávidas, por oferecerem riscos à saúde do bebê ou por poderem provocar um aborto, por exemplo.

Veja a seguir quais são os chás que as grávidas não devem tomar, e porque elas devem evitá-los.

Chás que as grávidas não devem tomar

Durante a gravidez o cuidado deve ser redobrado com a medicação e com as substâncias consumidas (mesmo as naturais), então, se você está grávida ou suspeita de uma gravidez, evite tomar os chás que relacionamos abaixo

  • Chá branco: acelera o metabolismo e pode causar mal-estar e palpitações cardíacas.
  • Chá de arruda: considerado abortivo.
  • Chá de banchá: acelera o metabolismo e pode causar mal-estar e palpitações cardíacas.
  • Chá de boldo (ou boldo chileno): pode aumentar as contrações uterinas, aumentando o risco de aborto ou parto prematuro, devido à presença do ascaridol.
  • Chá de buchinha do norte: considerado abortivo.
  • Chá de camomila-romana: pode causar aborto ou lesões no feto.
  • Chá de canela: pode provocar constrição sanguínea e contração dos músculos do útero.
  • Chá de cáscara sagrada: tem efeito laxante e pode causar contrações.
  • Chá de cipó-mil-homens: considerado abortivo.
  • Chá de confrei: considerado abortivo.
  • Chá de erva-de-bicho: considerado abortivo.
  • Chá de erva-de-santa-maria: considerado abortivo.
  • Chá de erva mate (ou chá mate): acelera o metabolismo e pode causar mal-estar e palpitações cardíacas.
  • Chá de espirradeira: considerado abortivo.
  • Chá de guaco (também conhecido como erva-de-serpentes, cipó-catinga, erva-de-cobra, erva-cobre, guaco-do-cheiro): provoca vômitos e contrações intestinais.
  • Chá de hidraste : pode aumentar as contrações uterinas, aumentando o risco de aborto ou parto prematuro.
  • Chá de hortelã (ou menta piperita): diminui a produção de leite.
  • Chá de losna: considerado abortivo.
  • Chá de melão-de-são-caetano: considerado abortivo.
  • Chá de pinhão-de-purga (ou pinhão-paraguaio): considerado abortivo.
  • Chá de poejo: considerado abortivo.
  • Chá de romã: provoca contrações uterinas.
  • Chá preto: acelera o metabolismo e pode causar mal-estar e palpitações cardíacas.
  • Chá verde: acelera o metabolismo e pode causar mal-estar e palpitações cardíacas.

 

Além desses chás que já têm efeitos comprovados, existe uma lista de outros chás que ainda não têm estudo realizado, mas que também devem ser evitados durante a gravidez, para evitar maiores problemas e riscos à saúde do bebê:

  • Chá de agnocasto
  • Chá de agripalma
  • Chá de alcaçuz
  • Chá de alecrim
  • Chá de alfazema
  • Chá de arália
  • Chá de arnica
  • Chá de arruda
  • Chá de artemísia
  • Chá de babosa
  • Chá de barbatimão
  • Chá de bardana
  • Chá de borragem
  • Chá de bucha paulista (ou cabacinha)
  • Chá de cardo-mariano
  • Chá de calêndula
  • Chá de cânfora
  • Chá de capim-limão
  • Chá de castanha da Índia
  • Chá de chapéu-de-couro
  • Chá de eucalipto
  • Chá de erva-de-gato
  • Chá de erva de são Cristóvão
  • Chá de espinheira-santa
  • Chá de esquisandra
  • Chá de feno-grego
  • Chá de gengibre
  • Chá de ginseng
  • Chá de hissopo
  • Chá de ipê roxo
  • Chá de ínula
  • Chá de levístico
  • Chá de orégano
  • Chá de mil-folhas
  • Chá de pau d’arco
  • Chá de  quebra-pedra
  • Chá de raiz de Angélica
  • Chá de rosa de damasco
  • Chá de salgueiro-branco
  • Chá de salsinha
  • Chá de sálvia
  • Chá de sene
  • Chá de sementes de aipo
  • Chá de sucuuba
  • Chá de tanaceto
  • Chá de tomilho
  • Chá de trevo-dos-padros
  • Chá de tussilagem
  • Chá de ulmária
  • Chá de unha-de-gato
  • Chá de uva-ursina
  • Chá de verbena
  • Chá de viburno
  • Chá de videira
  • Chá de visco-branco
  • Chá de zimbro
  • É importante reforçar que para não correr riscos, o melhor a fazer é evitar esses chás e não usar outras plantas ou ervas para fazer chás naturais sem orientação médica, nutricional ou de um fitoterapeuta durante a gravidez, principalmente no primeiro trimestre.

Depois que o bebê nasce, o cuidado continua, principalmente durante a amamentação, já que toda substância consumida pela mãe passa para o bebê através do leite materno. Por isso, é importante se informar sobre quais chás também devem ser evitados durante a amamentação, já que eles podem alterar o sabor do leite, prejudicando a amamentação ou provocando desconfortos como diarreia, gases ou irritação no bebê.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Add Comment